SAÚDE DO MÚSICO

Aqui você encontra os artigos e dicas sobre a saúde do músico.
Aproveite!

DÓI PRA TOCAR?


É com prazer que passarei a contribuir como colunista para o jornal musical e tenho esperanças de realmente fomentar reflexões a respeito de questões relacionadas à saúde do músico. Em todos os momentos, durante a escrita, encontrarão termos técnicos utilizados pela fisioterapia, porém com a explicação deles entre parênteses. Um dos meus objetivos é a aproximação dessas duas áreas de atuação. Convidar os profissionais da saúde a olharem com mais cuidado para a situação dos músicos e chamar a atenção dos músicos para uma maior autonomia quanto ao surgimento de doenças e, principalmente, visando à promoção de sua saúde.

Primeiramente, gostaria de apresentar-me e dizer um pouco sobre a idéia de participar deste jornal. Sou fisioterapeuta, formada pela Faculdade de Ciências Médicas de M.G. em 1999. Concluí mestrado em música pela Escola de Música da UFMG e sou professora da Escola de Música da UEMG. Sou esposa, mãe, professora, fisioterapeuta e amiga de músicos e, além disso, arrisco dizer que sou uma saxofonista apaixonada.

Em 2001, chegou um contrabaixista no meu consultório com uma escoliose estrutural grave (desvio lateral da coluna vertebral) causada por posicionamento corporal inadequado durante a performance. A partir daí, mais músicos foram chegando, com variados problemas físicos, todos relacionados diretamente com o uso de seus corpos durante a atuação musical. Então, iniciei meu trabalho e minhas pesquisas nessa área, até que em 1999, juntamente com outros profissionais da saúde e da música foi fundado o EXERSER-Núcleo de Atenção Integral à Saúde do Músico, aqui em Belo Horizonte.

A idéia de participar do jornal musical surgiu durante minha participação como palestrante no Seminário “Mulher na Música”, ocorrido em novembro do ano passado. Acredito ser aqui um ótimo espaço para desenvolver o que mais me interessa: informação, conscientização, promoção de saúde. Muitos profissionais da área da saúde,quando ficam sabendo que minha área de atuação é especificamente a saúde do músico, têm me perguntado coisas do tipo: “músico dói?” E, por outro lado, músicos perguntam: “doer enquanto toca não é normal?” E tenho respondido: “sim, músico dói para tocar quando não usa bem o seu corpo!” E, “não, doer para tocar não é normal, não é necessário.”



Até a próxima!

Carolina Valverde, saxofonista e fisioterapeuta

6 comentários:

  1. Olá Carolina, sou Clarinetista estudo meu instrumento fazem 3 anos. Desde o início tenho problemas como tendinite, porém com o passar do tempo meu quadro clínico foi evoluindo e acabei apresentando L.E.R., uma lesão no nervo ulnar e Escoliose. Não quero abandonar meu instrumento, já é faz parte da minha vida. Existe um tratamento específico para que eu possa continuar a tocar? Aguardo sua resposta. Ana, Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, estou à disposição para conversarmos melhor. Pode entrar em contato comigo através do carolina.valverde@gmail.com
      abs
      Carolina

      Excluir
  2. Olá, Carol!
    Estou pesquisando para fazer seu trabalho final na UEMG. kkkk Encontrei vc aqui sem querer. Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Pessoal por favor contribuam com a minha vaquinha para um sonho, desde de antes já agradeço pelo carinho repassem!
    http://www10.vakinha.com.br/VaquinhaE.aspx?e=253234

    ResponderExcluir
  4. Oi tenho 17 anos toco piano tem 4 anos e algum tempo sinto dores no pulso direito no pescoço e nas costas eu quero fazer musica mas nao posso ter uma rotina de estudos enquanto continuar essas dores você poderia me ajudar espero sua resposta e obrigado pela atenção.

    ResponderExcluir

BLOG SINDMUSI
Aproveitem esta nova ferramenta de comunicação do SindMusi para com os seus músicos e a sociedade
. Prestigiem!